A importância da hidratação em idosos no Verão

Os cuidados com a hidratação dos idosos devem ser redobrados no verão. Segundo a Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia (SBGG) os casos de desidratação aumentam mais de 50% nesta época do ano, principalmente porque boa parte dos idosos alegam não sentir sede e deixam de beber água regularmente. Causada pela baixa concentração de água no organismo, a desidratação pode gerar tonteira, dor de cabeça, boca seca, diarréia e, em casos mais severos, até mesmo a morte. No geral, todos nós eliminamos a água do nosso organismo através da respiração, suor, urina, fezes e lágrimas. Por isso, quando a reposição dessa água não é feita adequadamente, acontece o quadro de desidratação que pode ser leve, moderada ou grave, dependendo da avaliação feita no paciente pelo médico. Por isso, o recomendado é ingerir de 1,5 a 2 litros de água por dia. Para falar mais sobre este assunto, a equipe de web jornalismo do Canal Minas Saúde conversou com o  médico especialista em geriatria e gerontologia, membro da Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia (SBGG), Dr. Rubens de Fraga Junior. Para ele, é muito importante oferecer água de tempo em tempo para o idoso. “Muitos de nós, quando estamos com sede, tomamos água. Isso pode não acontecer com as pessoas idosas. Alguns deles acabam não sentindo a necessidade de beber água, embora o corpo esteja pedindo. Isso pode se tornar uma grande causa de desidratação”, revela. Abaixo, confira a entrevista:

1) Qual é a importância da hidratação para os idosos em especial na época do calor? Como incentivar este idoso a ingerir mais líquido?

O idoso necessita da água para manter a sua temperatura interna estável e eliminar líquidos que o corpo produz. Como o oxigênio, a água é muito importante para a manutenção da vida. Podemos sobreviver mais de seis semanas sem alimento, mas duraríamos poucos dias sem água. Mesmo quando estamos inativos, o nosso corpo perde água através da respiração, transpiração, urina. Por isso, a ingestão de água para sua reposição no organismo é muito importante. Muitos de nós, quando estamos com sede, tomamos água. Isso pode não acontecer com as pessoas idosas. Os idosos possuem um envelhecimento dos centros moduladores da sede. Alguns deles acabam não sentindo a necessidade de beber água, embora o corpo esteja pedindo.  Isso pode se tornar uma grande causa de desidratação, condição que, se não tratada prontamente, pode levar à morte.

2) O que é a desidratação e quais são os principais sintomas? A desidratação pode levar a morte?

Em muitos casos, a desidratação leve não causará grandes perigos à saúde do idoso. A desidratação poderá se tornar mais grave se não houver reposição dos líquidos perdidos diariamente. Os sintomas consistem em: boca seca, olhos secos, sem brilho; Pele seca e olhos encovados; Diminuição da urina; cansaço, dores de cabeça e comprometimento das atividades da vida diária do idoso. Em casos mais graves, a desidratação poderá causar queda na pressão arterial, reduzindo a capacidade de circulação do oxigênio e nutrientes pelo corpo. Como resultado, teremos tontura, confusão mental, perda da consciência, aumento dos batimentos cardíacos, falência dos rins e, consequentemente, a morte. idoso bebendo agua

3) Ainda sobre a desidratação do idoso, como se dá o tratamento? A desidratação pode gerar outros problemas de saúde também?

O tratamento da desidratação é feito com a reidratação. E isto pode ser conseguido através da ingestão do soro fisiológico caseiro ou em meio hospitalar com o uso de soro fisiológico injetável. É importante consumir a mesma quantidade de líquidos perdidos através do suor, diarreia ou vômito e, por isso, se algum destes fatores se instalar, beba mais do que 2 litros de água por dia, em pequenas quantidades.

4) E no caso de idosos que possuem dificuldade de mobilidade, motora ou intelectual, como promover uma hidratação adequada?

É de extrema importância de que os cuidadores de idosos sejam orientados a oferecer água e outros líquidos de hora em hora aos idosos. Cerca de 100 ml são suficientes.

5) Na sua opinião, uma dieta mais rica em alimentos que promovam a hidratação durante o verão pode ajudar no enfrentamento da desidratação em idosos? O que o senhor recomenda?

Com certeza. É importante considerar uma dieta rica em alimentos que possuam grande quantidade de água como a alface, a melancia, os brócolis, a cenoura e a maça (tem 80% de água do seu peso) para evitar a desidratação dos idosos no verão. Queijo cottage com pouca gordura, iogurte, batatas e até mesmo atum enlatado também podem fortalecer esta dieta. Um observação que faço é de não incluir bebidas que contenham cafeína (como café e cola) ou álcool na sua contagem de líquidos diária, uma vez que eles atuam como diurético, promovendo perda de água.

6) Para finalizar a nossa entrevista, o que fazer para prevenir a desidratação?

Para prevenir a desidratação, procure tomar pequenas quantidades de água ao longo do dia. Água de coco, sucos e chás (capim limão) também são efetivos. Além disso, carregue uma garrafinha de água sempre junto. Quando se exercitar, ingira bastante líquidos, especialmente se estiver quente e úmido. E beba de um a dois copos de água de 30 minutos à uma hora antes de iniciar a atividade física. Beba outro copo ou mais, quando terminá-la.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *